terça-feira, 22 de junho de 2010

Conto dramático - Angústia, silêncio, solidão.

                         


Já marcavam 5:30 quando me dei conta de que estava sozinha; dei mais uma olhada para ter certeza e me deparei com o desespero da solidão. Respirei fundo e pronunciei bem baixinho o nome de meu marido, e naquele quarto escuro obtibe a pior das respostas: o silêncio. Vasculhei minha memória para tentar resgatar alguma lembrança de seus planos para aquela noite, mas para o meu desalento naão conseguia me lembrar de nada.
 Me levantei para checar as crianças mas algo prendeu minha atenção: quando olhei para cama onde antes descansava - por mais que a escuridão tentasse me impedir - constatei que era uma cama de solteiro. Aquilo despertou em mim uma tristeza profunda e medo, muito medo. Dúvidas rondavam minha mente como: Por quê não conseguia me lembrar de nada? Será que ele favia me deixado?
 Meu coração foi se apertando e lágrimas insistiram em cair, com minhas mãos trêmulas fui olhar pela janela e dei de cara com uma vista diferente da que costumava ter da janela de meu quarto, o que provava o maior dos meus medos: eu não estava em casa.
A chuva caía forte e impetuosa com raios e ventos que me davam arrepios! Sempre tive medo de chuva mas Pedro sempre me abraçava me dando segurança. Simplismente, me rendi, sentei no chão e por alguns minutos chorei, chorei como não chorava à muito tempo - não que eu me lembre do que aconteceu a muito tempo - e enquanto chorava, fui me acalmando mas aquele frio não passava, tentei com todas as forças me lembrar onde estava ou o que estava fazendo dormindo fora de casa mas novamente, nada me vinha em mente. Olhei novamente no relógio que já marcava 6:00. Resolvi me arrumar para quando Pedro viesse me buscar no nosso fusquinha e me levar daquele lugar pavoroso.
  Quando acendi a luz, a claridade foi tão forte que machucou meus olhos, estava em um quarto todo branco, frio e quase vazio, ali se encontravam apenas uma cama, acima dela um crucifixo e uma cômoda. Encontrei uma toalha e uma mala cheia de roupas e novamente uma série de dúvidas tomaram conta de minha já confusa cabeça. Peguei a toalha e entrei no banheiro para tomar banho, olhei no espelho e me assustei com a imagem: meus lindos cabelos loiros haviam sido trocados por fios grisalhos e minha pele lisa por uma enrugada. O pânico se apoderou de mim e tudo que pude fazer foi gritar e chorar, meu coração disparava enquanto o quarto se encheu de pessoas vestidas de branco que gritavam:
- Aconteceu de novo, aconteceu de novo!
Foi então que senti uma picada. Tudo se calou, senti minhas pálpebras pesando e voltei ao passado em doces sonhos e paz.                       

12 comentários:

  1. Nossa queria muito ver o fim dessa história! adorei ela simplesmente fantástica!

    ResponderExcluir
  2. Adorei a ideia, a confusão mental, os sintomas da velhice com a doença psicológica.

    ResponderExcluir
  3. legal. gostaria de saber de quem autoria e for seu se poderia criar um roteiro baseado e e fazer um curta e se tiver outros me enviar. Desde ja agradeço. aguardo contatos. Se alguém aqui tiver também manda ai seu conto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fagner Monteiro! =)
      Muito tempo depois, te dou uma resposta! hehe
      O texto é de minha autoria mesmo. Caso ainda tenha interesse de trabalhar em cima dele me mande um email: moraiss.ana@gmail.com
      Obrigada!

      Excluir
  4. Quem escreveu esse conto está de parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Quem escreveu esse conto está de parabéns!

    ResponderExcluir
  6. - Queria te dizer que estou muito encantada por este conto. Quero também parabenizar o autor ou a autora. Todos os anos na minha escola, é desenvolvida uma feira literária no qual o tema deste ano foi o gênero conto. nas minhas pesquisas, tive a oportunidade de encontrar esse conto. Tomei a liberdade de levar para a turma apreciar a sua obra. decidimos incená-la na feira. fomos eleita à melhor turma. Enfim, queria te dizer que se você se interessar pelo vídeo da apresentação, estarei disposta a enviá-lo para que possa apreciar sua obra de modo diferente. Meu e-mail é: karolinnyana@hotmail.com, e o meu facebook é Karol Araújo. Ficarei no aguardo do seu contato, e mais uma vez, parabéns!! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Néh Ele É Muitoooo Boom Parabéns Msm :)

      Excluir
    2. Olá Karol, tudo bem?

      Me desculpe a demora em entrar em contato contigo. Na verdade, escrevi aquele conto há muitos anos e só hoje (1 ano após o seu comentário) voltei na página para ler os novos comentários.

      Se ainda tiver o video gostaria muito de assisti-lo sim.
      Agradeço os elogios e fico extremamente feliz que tenha gostado do meu trabalho!

      Att,

      Excluir
  7. Muitoooo Bom Parabéns Pelo o seu Conto :)

    ResponderExcluir